Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Feira da Vigia

É dia de feira.

Sábado é dia de ir à feira? Sim, mas também, na segunda, terça, todo dia é dia de feira. Na feira livre de Vigia de Nazaré encontramos uma rica variedade de frutas, legumes, crustáceos, peixes e carnes bovina, suína e aves.
Diariamente os nossos feirantes dedicam a maior parte da manhã para suprirem o mercado informal com suas produções oriundas da pecuária, agricultura e pesqueira. É assim no centro comercial da cidade que não dorme. Nos primeiros quarteirões, da Rua Generalíssimo Deodoro, começam mudando a paisagem, logo nas primeiras horas do dia. Barracas são montadas e depois são recheadas de produtos que logo, logo estarão na mesa de cada família vigiense. Como a farinha, o tucupi a pimenta de cheiro, jambu, couve, chicória, cheiro-verde, jerimum, ufa... Têm muito mais. E as frutas: banana, laranja, cupuaçu, tangerina, manga, mamão etc.






Temos de comprar tudo para o almoço de sábado e domingo, ainda dá tempo para ir a lanchonete tomar o famoso mastruz com leite, tem gente que gosta da mistura com o leite do amapá. Muito saudável! Há! Ia esquecendo, da goma e do tucupi produzidos pela comunidade do Acapú. É com estes ingredientes são feitos os tradicionais pratos da culinária paraense: o pato no tucupi e o tacacá.

Em geral, o município de Vigia de Nazaré é um dos grandes produtores do Estado do Pará na agricultura, na pecuária e pesca. Embora existam épocas em, que certos itens caiam de produção, mas na maioria dos meses o vigiense tem, em abundancia o peixe, a carne, legumes, frutas e verduras, graças aos agricultores, fazendeiros e pescadores. 

A feira de Vigia

Dia de feira.

Sábado é dia de ir à feira? Sim, mas também, na segunda, terça, todo dia é dia de feira. Na feira livre de Vigia de Nazaré encontramos uma rica variedade de frutas, legumes, crustáceos, peixes e carnes bovina, suína e aves.
Diariamente os nossos feirantes dedicam a maior parte da manhã para suprirem o mercado informal com suas produções oriundas da pecuária, agricultura e pesqueira. É assim no centro comercial da cidade que não dorme. Nos primeiros quarteirões, da Rua Generalíssimo Deodoro, começam mudando a paisagem, logo nas primeiras horas do dia. Barracas são montadas e depois são recheadas de produtos que logo, logo estarão na mesa de cada família vigiense. Como a farinha, o tucupi a pimenta de cheiro, jambu, couve, chicória, cheiro-verde, jerimum, ufa... Têm muito mais. E as frutas: banana, laranja, cupuaçu, tangerina, manga, mamão etc.






Temos de comprar tudo para o almoço de sábado e domingo, ainda dá tempo para ir a lanchonete tomar o famoso mastruz com leite, tem gente que gosta da mistura com o leite do amapá. Muito saudável! Há! Ia esquecendo, da goma e do tucupi produzidos pela comunidade do Acapú. É com estes ingredientes são feitos os tradicionais pratos da culinária paraense: o pato no tucupi e o tacacá.

Em geral, o município de Vigia de Nazaré é um dos grandes produtores do Estado do Pará na agricultura, na pecuária e pesca. Embora existam épocas em, que certos itens caiam de produção, mas na maioria dos meses o vigiense tem, em abundancia o peixe, a carne, legumes, frutas e verduras, graças aos agricultores, fazendeiros e pescadores.