Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

VIGIA CARNAVAL 2016

Vigia no carnaval 2016

No início eram quatro, e nos últimos dez anos, três escolas desfilavam na avenida da folia vigiense. Mas recentemente, apenas duas agremiações enfrentam dificuldades, mas se mantêm firmes, e sobrevivem com muito brilho e derramando empolgação. São elas:
Caprichosos do Arapiranga – fundada em 1986 (20-fev.), simbolizada por um tigre e tem as cores, verde e rosa. – “Fui o coordenador da reunião para a escolha do nome, sugeri “Caprichosos do Arapiranga” e ganhei por 12 contra 2 votos”, disse Alcindo Vilhena Barata, um dos fundadores. Em 2005 a escola fez uma homenagem ao empresário Fernando Ferreira.
Neste ano a Escola de Samba Caprichosos completa 30 anos de fundação e há cinco anos sob a direção do empresário Clemildo Palheta, um dos fundadores, que se empenha de todas as formas para colocar, a única Escola do bairro do Arapiranga, na passarela do samba.
Em 2015 a escola desfilou com o tema “Cantando no Nordeste”, com três carros alegóricos, 22 baianas, carro abre ala, destaque para ala da capoeira.
Outra escola de samba é a Pra samba, a primeira escola de Vigia, fundada em 1978, tem como símbolo a Águia, e as cores vermelha e branca. No ano passado não fez desfile oficialmente, mas segundo informações, este ano promete fazer um desfile apoteótico no corredor da folia. A Escola ma
As escolas de samba vêm tentando manter a tradição do carnaval da Vigia. Como não tem caráter competitivo, os preparativos, quase que sempre, fica para última hora, há mais de trinta anos que a Prefeitura não realiza concurso, e muito menos dá prêmio. Mas na atualidade, repassa às referidas Associações carnavalescas, cerca de 10 mil reais, verba que muitas das vezes, é a única utilizada para as confecções das fantasias, montagem dos carros alegóricos, abre alas e etc.
Talvez seja um dos motivos da diminuição das escolas de samba em Vigia, pois passado 365 dias, elas não promovem sequer um baile para angariar fundos e investir no carnaval. Algumas tem sede própria, como é o caso da Caprichosos, mas por falta de recursos a quadra está desolada. Na conjuntura atual, se não fosse o recurso vindo da Prefeitura, talvez não tivesse mais uma escola de samba no carnaval da Vigia. Desculpe! Mais é uma crítica constritiva.
Enquanto os blocos de micareta ganham a cada carnaval mais força e crescem na popularidade e com as vendas de abadás. Mas para isso investem nas atrações e inovam no designer dos abadás, possuem diversos patrocinadores de peso, e atraem uma multidão para “a cidade que não dorme”, diferente das escolas de samba.

O Bloco do Tatu e Cia, o mais querido do bairro do Arapiranga, é um dos maiores do carnaval, todo ano arrasta mais de três mil foliões. Outro bloco com bastante expressividade é o Canto do Galo, um dos ícones do carnaval vigiense, sempre é o único a se apresentar, quando o sol já começa a nascer, esta é uma das características do Bloco. E o Bloco MIkaloka com seu mico preto abrindo alas, um dos favoritos do maior carnaval do Pará.