Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Tradição

Em 1992, quando deu início ao Círio das crianças, o senhor Esmaelino Nascimento e a esposa Darialva dos Santos viram o sofrimento da comunidade do Maracajá que ao termino da procissão estavam em frente a sua residência a espera do ônibus para retornarem aos seus lares. Fazia sol forte, já se passavam das 12 horas, era visível no semblante de cada pessoa o cansaço e a fome.
Então seu Esmaelino disse para a esposa: - Mulher a partir do próximo ano vamos oferecer, aos nossos conterrâneos um café da manhã e depois um almoço. E assim foi feito.

Em 2011, com o falecimento do marido, dona Darialva juntamente com os filhos Ana Celia, Leide, Lucinha, Terezinha, Ederilson e Rosiane continuaram com a missão de atender a Comunidade.
A partir de 2014, agora, apenas os filhos deram continuidade a vontade dos pais. São mais de 70 romeiros, que estacionam pela manhã bem cedo para degustar de um delicioso café da manhã, para fortalecê-los e participar de uma longa caminhada, de aproximadamente, 4 quilômetros.
A tradição se repete por 23 anos, aos filhos dos saudosos Esmaelino e Darialva, que com amor, bondade e devoção a Nossa Senhora não medem esforços para continuar este trabalho de generosidade herdado pelos pais. A Comunidade de Maracajá agradece.
Os irmãos Ana Celia, Leide, Lucinha, Terezinha, Ederilson e Rosiane oferecem todos os anos um café da manhã e almoço para, aproximadamente, 70 pessoas moradores da comunidade do Maracajá, no domingo, dia do Círio das crianças.

Este trabalho social é a continuação deixada pelos saudosos pais, Darivalda e Esmanuelito, que começou em 1992, ano que surgiu o Círio das crianças. Continuaram com a missão de atender a Comunidade.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

My Home

https://www.google.de/maps/@-0.8510926,-48.1378372,3a,45y,286.47h,79.88t/data=!3m6!1e1!3m4!1s3ByTjo5hrB3AV6h43wHeow!2e0!7i13312!8i6656!6m1!1e1

Vigia de Nazaré

A cidade mais antiga do Pará, segundo pesquisas dos historiadores, hoje com 400 anos, perdura na sua mais concreta tradição a música, a dança e a religiosidade. Ruas estritas com prédios modestos guardam a história que outrora foi escrita pelos jesuítas, vigilengos e cabanos,
Vigia transmite o que há de melhor na história do Pará e do Brasil, Monumentos erguidos no seculo XVIII se mantêm intacto aos olhares de quem por aqui chega, passa ou permanece.
A pesca, o artesanato, bandas musicais centenárias, os casarões, praças ainda firme em sua estrutura resistem ao tempo e ao progresso.
Praça do Expedicionário - Arapiranga

Espaço Cultural "Tia Pê"

quadrilha junina

Museu Municipal "Barão de Guajará"

Banda "União Vigiense"

Consertadores de rede de pesca


igreja Madre de Deus (matriz)

Orla marítima

por do sol

Av. Santana de Medeiros - Arapiranga

Av. Santana de Medeiras

Travessa da Pedreira - Arapiranga

Travessa Lauriano de Souza- Arapiranga
 esta página ainda em construção,

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Dia da Raça

O Desfile Escolar das escolas de ensino fundamental foi realizado no dia 6 de setembro no município de Vigia de Nazaré. O evento aconteceu à noite. Este horário já vem sendo adotado há alguns anos, devido o calor intenso da manhã. Pois esse é o motivo principal pelo qual o desfile é realizado de noite. 
Havia muita reclamação por parte dos pais, que sentiam junto com seus filhos o sol ardente, nesta época que é mais intenso no Norte do país.
As escolas se apresentaram dentro da medida do possível. Pois durante a crise que estamos passando as fantasias usadas pelos alunos saem caras e é usada apenas em alguns minutos.
Os temas foram diversos, mas a maioria se dedicou as riquezas, tradições e culturas do Brasil. Os romances do escritor cearense José de Alencar foram traduzidos com personagem vivos, enquanto alunos de outras escolas  retratavam as riquezas de Minas Gerais.  E além de figuras lendárias da história do nosso querido Brasil.  Algumas fotos são postadas para mostrar momentos deste primeiro dia da Parada Escolar.