Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

quinta-feira, 28 de julho de 2016

CHUVA E VENTO

A forte chuva e ventania que atingiu a cidade Vigia de Nazaré, na tarde desta quinta-feira (28) causou destruição nos telhados de várias casas do centro e também da periferia. Árvores desabaram em vários pontos do município vigiense. O Corpo de Bombeiros foi informado através do telefone (91) 3731-2924 e que até às 17h foram recebidos mais de 20 chamadas.

A equipe do Comandante Marcelo Moraes Nogueira do 17º Grupamento atenderam várias famílias que tiveram suas casas atingidas pela queda de árvores. Um dos locais foi na Av. Magalhães Barata, próximo ao Terminal Rodoviário, outro foi no bairro da Catuaba, onde um telhado de um galpão se desprendeu e foi arremessado para cima de uma residência.
Segundo o SGT Bombeiro Marcos, pessoas que foram vítimas do fenômeno, comentaram com ar de surpresa, nunca terem visto nada parecido em Vigia e estão com medo que outros temporais voltem a acontecer.


Também no bairro Novo Horizonte teve incidente com queda de árvores, porém nenhuma casa foi atingida. Segundo o Corpo de Bombeiros, felizmente, em nenhum ponto atendido não houve vítimas, apenas danos materiais.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

JUVENTUDE

10ª Caminhada da juventude de Vigia de Nazaré

A Jornada Mundial da Juventude também conhecido como JMJ ou originalmente em italiano Giornata mondiale della gioventù ou GMG é um evento religioso instituído pelo Papa João Paulo II em 20 de dezembro de 1985,[1] que reúne milhões de católicos de todo o mundo, sobretudo jovens. Com duração de cerca de uma semana, promove eventos da Igreja Católica para os jovens e com os jovens.
Reúne milhares de jovens para celebrar e aprender sobre a fé católica, para conhecer melhor a doutrina católica e para construir pontes de amizade e esperança entre continentes, povos e culturas, além de compartilhar entre si a vivência da espiritualidade.
Os voluntários da Paroquia de Vigia se reuniram em todos os setores para fazer a divulgação da 10° Caminhada e também pedir doações para as despesas.
Dia 20 de julho, acontece a celebração de abertura da 10ª Caminhada da Juventude.
Na quinta-feira (21), tem missa em uma fabrica de pescado, às 6hs. Procissão Eucarística por paróquia até as comunidades.
Sexta-feira (22), Celebração Missionária nas comunidades, às 18hs.
No sábado (23), às 9hs. Celebração Penitencial e Confissões.
Às 17h:30min, Concentração no Trapiche Municipal – Quando acontece a adoração do Jubileu da Juventude e Passagem na Porta Santa da Igreja matriz.
E dia 25 o encerramento no Espaço Cultural “Tia Pê”.

E a cada dia que passa estamos mais perto do início das peregrinações de Nossa Senhora das Neves pelas ruas de nossa cidade visitando as comunidades da cidade e do interior. Maria é aquela que nos trás Jesus e deixa para nós um mandamento, "fazei o que ele vós disser". Iluminados pelo Espírito Santo, de modo especial, conduzidos por Maria, que nós possamos levar para todos a alegria do evangelho, e a mensagem de amor e Misericórdia de um Deus que é pai, filho, e Espírito Santo. Em especial que nossa mãe do Céu, conduza os passos dos jovens de nossa Diocese que iram participar da Caminhada da Juventude em nossa Cidade.

domingo, 17 de julho de 2016

ACONTECEU COMIGO.

Aconteceu comigo!
Hoje, por volta das 11 horas, fui até o mercado, no centro da cidade, e decidi parar em um dos lugares que vendem refeição e, ainda vi, a plaquinha, “TEMOS SOPA”. Então resolvi tomar uma, para “rebater” as cervejinhas tomadas na noite anterior.
Entrei em um dos lugares que oferecem um cardápio básico, como carne assada de panela, frango cozido, e o famoso peixe frito (gurijuba). Mas meu objetivo era tomar a sopa. Perguntei se tinha, e a moça prontamente me atendeu, com um sorriso de boas vinda. Sim, mas acho que está um pouco fria, disse. Ok, respondi, mas não precisa estar muito quente, pois o sol está de “lascar”.
Na ocasião, um simpático rapaz adentra no recinto com, um coco na mão, então eu perguntei. Tem coco gelado? E o rapaz imediatamente respondeu você quer um? Eu vou buscar. Aproveitei e dei o dinheiro para pagar o coco e a sopa, pois se tratava do esposa na simpática jovem.
Chegou a sopa (de carne), na temperatura desejada. Comecei a tomar, parecia está gostoso, sim! estava com estômago vazio.... me deliciei com os pedaços de legumes e alguns de carne, sim uma delícia. Até que certo momento, ao colocar uma colherada na boca, sentir um corpo estranho, entre os meus dentes e a minha língua, pensei ser um anel, ou quem sabe uma aliança. Parei de mastigar, automaticamente, e com os dedos indicador e o polegar enfiei no interior de minha boca e extrair um objeto de metal, até então, não identificado.
No “restaurante” já chegara algumas pessoas, que feito o pedido (comida), ficaram aguardando, eu era o único a comer no momento, apesar das pouquíssimas mesas, lógico! O local é muito pequeno para tantas.
Foi quando educadamente, com o objeto na minha mão, coloquei no alto da borda do prato, e finalmente identifiquei o objeto. Mas antes tive o cuidado para que as pessoas que estavam ao meu redor, não percebesse tal situação que eu, no momento estava passando. Pois naquele instante, meu estômago parou de funcionar, meu cérebro, imediatamente, enviou uma mensagem para o meu aparelho digestivo dizendo que era para encerrar a degustação.
E foi o que eu fiz, tive a sensação de que uma coisa muito ruim estaria dentro de mim, e a vontade era de expelir pela boca tudo que eu havia ingerido naquele momento. Senti que as pessoas me olhavam e de alguma maneira sentiam o que eu estava sentindo, um incômodo, um mal estar, algo que involuntariamente estaria transmitindo para aquelas pessoas, com exceção do casal que despercebidamente, não notaram o “clima”, é que eles estavam ocupados no preparo das refeições. Eu prudente que sou, trago de família, esperei a oportunidade certa para me despedir e ao mesmo tempo mostra, na simplicidade, o objeto que saíra de minha boca.
Pela beleza e simpatia do casal, que dedicadamente se empenhavam na culinária, achei que, fazer um escândalo não era a coisa correta, pois não tinha, assim como não tenho interesse em prejudicá-los. Sei que o que aconteceu não foi proposital, e sim, falta de atenção.
Bem o objeto era um lacre de uma latinha, que poderia ser de um refrigerante, ou cerveja. Depois dessa frustação, só tenho uma coisa agradecer, é não ter acontecido o pior comigo. Obrigado meu Deus!

quarta-feira, 6 de julho de 2016

VIGIA DE NAZARÉ


Maravilhas, Encantos e Magia.

Localizada no nordeste paraense e banhada pelo Rio Guajará Miri, a cidade de Vigia ostenta as mais lindas paisagens da região do salgado. A rica vegetação e seus incomparáveis igarapés atrai muitos turistas, do Brasil e também do exterior. A população vigiense, em sua maioria, tem grande devoção a Nossa Senhora. Uma é a Nossa Senhora das Neves, considerada a padroeira dos vigienses, outra é a de Nazaré. Mas os católicos devotos de São Sebastião festejam o Santo, logo no início do ano (segunda quinzena de janeiro).
Aqui tem o círio mais antigo do Pará, o Círio de Nazaré, festejado no segundo domingo de setembro. Uma grande festa que atrai devotos de todos os lugares.
Além do religioso, muitas outras atividades acontece na cidade, como o carnaval, visto por todos, como o maior do Pará.
Vigia fica às margens da baia do marajó, e faz fronteira com os município do Santo Antonio do Tauá, São Caetano de Odivelas e Colares.
Outra forte referencia são as centenárias bandas de musicas e os grupos de carimbó integram a cena musical do Município.
As milhares de embarcações pesqueiras na orla marítima da cidade, retrata o forte comercio do pescado, vendido para população e exportado para fora do estado.
Os prédios antigos, já chamaram a atenção de cineastas que transformaram as estreitas ruas em set de filmagem, entre eles, a Igreja de pedra, uma capela do século XVIII, construção inacabada pelos jesuítas que permanece até hoje, uma grande parte do prédio original.

Confira aqui algumas fotos clicada pelas lentes de Tito Miranda.
  
Furo da Laura

Por do Sol

VIGIA DE NAZARÉ


Maravilhas, encantos e magia.

Localizada no nordeste paraense e banhada pelo Rio Guajará Miri, a cidade de Vigia ostenta as mais lindas paisagens da região do salgado. A rica vegetação e seus incomparáveis igarapés atrai muitos turistas, do Brasil e também do exterior. A população vigiense, em sua maioria, tem grande devoção a Nossa Senhora. Uma é a Nossa Senhora das Neves, considerada a padroeira dos vigienses, outra é a de Nazaré. Mas os católicos devotos de São Sebastião festejam o Santo, logo no início do ano (segunda quinzena de janeiro).
Aqui tem o círio mais antigo do Pará, o Círio de Nazaré, festejado no segundo domingo de setembro. Uma grande festa que atrai devotos de todos os lugares.
Além do religioso, muitas outras atividades acontece na cidade, como o carnaval, visto por todos, como o maior do Pará.
Vigia fica às margens da baia do marajó, e faz fronteira com os município do Santo Antonio do Tauá, São Caetano de Odivelas e Colares.
Outra forte referencia são as centenárias bandas de musicas e os grupos de carimbó integram a cena musical do Município.
As milhares de embarcações pesqueiras na orla marítima da cidade, retrata o forte comercio do pescado, vendido para população e exportado para fora do estado.
Os prédios antigos, já chamaram a atenção de cineastas que transformaram as estreitas ruas em set de filmagem, entre eles, a Igreja de pedra, uma capela do século XVIII, construção inacabada pelos jesuítas que permanece até hoje, uma grande parte do prédio original.

Confira aqui algumas fotos clicada pelas lentes de Tito Miranda.
  
Furo da Laura

Por do Sol

VIGIA DE NAZARÉ


Maravilhas, encantos e magia.

Localizada no nordeste paraense e banhada pelo Rio Guajará Miri, a cidade de Vigia ostenta as mais lindas paisagens da região do salgado. A rica vegetação e seus incomparáveis igarapés atrai muitos turistas, do Brasil e também do exterior. A população vigiense, em sua maioria, tem grande devoção a Nossa Senhora. Uma é a Nossa Senhora das Neves, considerada a padroeira dos vigienses, outra é a de Nazaré. Mas os católicos devotos de São Sebastião festejam o Santo, logo no início do ano (segunda quinzena de janeiro).
Aqui tem o círio mais antigo do Pará, o Círio de Nazaré, festejado no segundo domingo de setembro. Uma grande festa que atrai devotos de todos os lugares.
Além do religioso, muitas outras atividades acontece na cidade, como o carnaval, visto por todos, como o maior do Pará.
Vigia fica às margens da baia do marajó, e faz fronteira com os município do Santo Antonio do Tauá, São Caetano de Odivelas e Colares.
Outra forte referencia são as centenárias bandas de musicas e os grupos de carimbó integram a cena musical do Município.
As milhares de embarcações pesqueiras na orla marítima da cidade, retrata o forte comercio do pescado, vendido para população e exportado para fora do estado.
Os prédios antigos, já chamaram a atenção de cineastas que transformaram as estreitas ruas em set de filmagem, entre eles, a Igreja de pedra, uma capela do século XVIII, construção inacabada pelos jesuítas que permanece até hoje, uma grande parte do prédio original.

Confira aqui algumas fotos clicada pelas lentes de Tito Miranda.
  
Furo da Laura

Por do Sol

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Cameraman

Quero parabenizar os 40 anos de existência da TV LIBERAL, pois tenho orgulho de ter participado da emissora, em 1981, quando exerci a função de cameraman.
Entrava às sete da noite e ia direto para o estúdio, onde apresentadores do jornal Liberal, como Chico Cezar, Vic Pires Franco apresentavam o jornal ao vivo e, eu estava lá, com as mãos firmes na câmera, até o termino do Jornal. Lembro muito bem o sorriso do Vic, uma marca que ficou nas telinhas das casas dos paraenses. Outro detalhe que não esqueço era a “licença” para o horário impróprio até (?) anos, antes da exibição de um filme. Grudava o referido papel na parede do estúdio e focalizava com a câmera segundos antes de começar.
O programa do Pierre Beltrão era o último que fazíamos, era gravado e ia para o ar no outro dia.

Para terminar o inicio da madrugada fazia o programa do inquestionável apresentador social Pierre Beltrão que era editado para ir ao ar no dia seguinte. Depois a Kombi levávamos para casa.