Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

terça-feira, 7 de abril de 2015

LOGRADOUROS PÚBLICOS

Muitos que já foram vendidos, ou destruídos e outros encontra-se em ruínas, exemplo de tais situações, é o caso do Trapiche Municipal, localizado no centro da Orla marítima da "cidade que não dorme", uma obra de total importância, não só, para o embarque e desembarque de embarcações, para a descida das imagens de São Pedro e de N. S. de Nazaré... , mas também, usufruído ou desfrutado por alguém ali, outrora, muitas das milhares de vezes, foi cenário para os encontros de namorados, um bate-papo entre conterrâneos, uma foto do turista, para levar de recordação e, a tradicional pescaria com os amigos, ao cair da tarde.

Aproximadamente dez anos, se fez uma "reforma". Hoje está deserto e abandonado, entregue aos urubus e mendigos, que usam o local para defecar. Um espaço público que "poderia" ser um dos cartões postais do Município, agora, urbanisticamente incorreto, nos dias atuais, sua frequência, não tem mais, como igual, há anos atrás. Triste e inexplicável, decepcionante e intrigante para quem ver sua cidade às vésperas de comemorar seus 400 anos. Fica aqui o apelo.

O referido local era o point das pessoas que tem como hobby a pesca, que a tarde, por volta das cinco hora em diante era comum assistir vários “pescadores” lançando suas varas de pescar, no anzol, geralmente, a minhoca, a predileta dos peixes. Mas não era só os peixes pescados, também com os pulsais, e pequenas redes de náilon, poderia trazer do rio os siris e camarões.


Agora só ficaram as recordações e a esperança que nossas autoridades façam projetos e executem novas obras em nosso município, para que o mesmo venha a ter a cara real de uma cidade histórica e que em seis de janeiro de 2016 vai “comemorar” os seus quatro séculos de existência.