Vigia de Nazaré - Pará - BR.

Vigia de Nazaré - Pará - BR.
400 Anos de fundação

quarta-feira, 25 de março de 2015

O SONHO

Hoje, depois de almoçar, assistir ao jornal televisivo e logo... Ao chegar na Ponte procurei uma descida em sua extremidade, e com muito cuidado, desci. Acomodei meus pertences em um lugar protegido da água, e fui até o rio, mergulhei de corpo e alma, sem medo de ser feliz.
Nadei, mergulhei me deliciando daquele momento. As vezes olhava para o céu, com suas nuvens brancas salpicadas por carneirinhos multicores, eram azuis em degradê e tons de cinzas. Hora olhava para o mar, porém, notei que ele não estava naturalmente límpido, podia observar, pequenos poluentes, em toda sua extensão, que pareciam pequenos filetes de ferrugens, não sei ao certo. Mas isso não diminuiu a plena satisfação de um banho majestoso.

Senti meu corpo leve, e a calma que invadia Minh'alma, das brandas ondas da água do mar, tão tranquilo e sereno envolvendo-me em um clima de prazer e satisfação.
Em algum momento avistei um automóvel. Interessante! Um carro..., cujo modelo não consegui identificar, andando pela fina areia, paralelo ao mar, e o pior, vindo em minha direção.

Não titubeei, ao perceber aquele veículo de cor indefinida, como se fosse um filme antigo, com baixa resolução, sai da água, peguei a máquina fotográfica, meu óculos e as chaves, olhando, levemente, para trás observei que as pessoas que estavam no interior do veículo, não me notaram... Então acordei, foi como se minha alma aproveitasse o descanso do meu corpo e saísse para tomar um banho.